quarta-feira, 14 de março de 2012

Primatas

Lêmure-de-cauda-anelada












































































O lêmure-de-cauda-anelada (Lemur catta) é um primata estrepsirrino de grandes dimensões e o lêmure mais reconhecível devido à sua cauda anelada de cores preta e branca. Pertence à família Lemuridae, uma das quatro famílias de lêmures. Tal como os outros lêmures é endêmico da ilha de Madagáscar. Habita florestas de galeria e zonas arbustivas de espinhosas, nas regiões mais a Sul da ilha. É onívoro e é o mais terrestre dos lêmures. O animal é diurno, estando ativo exclusivamente em horas com luz de dia.

Indri































O indri (Indri indri) é o maior lêmure do mundo, endêmico de Madagascar.

Társio


























Tarsius é um gênero de primatas popularmente conhecidos como társios, pertecentes à família Tarsiidae, a única com representantes atuais dentro da infraordem Tarsiiformes. Apesar do grupo outrora ter sido comum, todas as espécies atualmente viventes são encontradas em ilhas no sudeste da Ásia.

Galago

















Galago é um gênero de primata da família Galagonidae. Pode ser encontrado na África subsaariana, incluindo as ilhas de Bioko e Zanzibar.

Potto

































O Potto (Perodicticus potto) é um primata Strepsirrhini da família Lorisidae.

Macaco-sem-nariz
















O macaco-sem-nariz ou macaco-dourado (Rhinopithecus roxellana) é uma espécie de macaco nativa da China, conhecida por esse nome por seu peculiar nariz.

Macaco-barrigudo




























O macaco-barrigudo (Lagothrix lagotricha) é um primata encontrado originariamente na Amazônia brasileira. É um dos maiores consumidores de frutos, folhas e flores, sendo um dispersor de sementes maiores, preferindo viver em florestas inundadas, ao Norte do Rio Negro e Rio Solimões pela quantidade de alimento. Vive em grupos que ocupam grandes áreas.

Macaco-parauacu















O Macaco-parauacu (Pithecia pithecia) é uma espécie de macaco neo-tropical das florestas húmidas de boa parte da Venezuela, Guianas e norte do Brasil.

Macaco-prego







































O termo macaco-prego é atualmente a designação genérica da antiga espécie de macacos Cebus apella. Suas várias subespécies são hoje consideradas espécies distintas.

Macaco-aranha


































Macaco-aranha ou coatá é o nome popular dos macacos do gênero Ateles, da família Atelidae.

Uacari




























Os uacaris são macacos diurnos e arborícolas do gênero Cacajao, da família dos cebídeos. Apesar de ameaçados de extinção, ainda podem ser encontrados nas florestas alagadas da Amazônia. Distinguem-se pelo tamanho da cauda, menor que o comprimento do corpo, e pela ausência de pelos na região da cara.

Mono-carvoeiro











































O muriqui-do-sul ou mono-carvoeiro (Brachyteles arachnoides) é considerado o maior entre os primatas do continente americano, encontrado originariamente na Mata Atlântica brasileira, constando na Lista Vermelha da UICN como estando em perigo crítico. É um dos primatas mais ameaçados do mundo.

Soim-de-coleira


























O soim-de-coleira (Saguinus bicolor) é um sagüi encontrado na Amazônia brasileira, mais especificamente na cidade de Manaus e seus arredores, no Amazonas. Encontra-se ameaçado de extinção devido a deflorestação, uma vez que sua área de ocorrência é restrita e vem sendo ocupada pelo crescimento da cidade de Manaus.

Macaco-coruja


















O macaco-coruja (Aotus trivirgatus) é uma espécie sul-americana de macacos que habitam as regiões de florestas tropicias. É a única espécie de macaco de hábitos completamente noturnos.

Mico-leão-de-cara-dourada


































O Mico-leão-de-cara-dourada (Leontopithecus chrysomelas) é um primata brasileiro ameaçado de extinção, pertencente a família Cebidae.

Mico-leão-dourado






























O Mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia) é um primata encontrado originariamente na Mata Atlântica, no sudeste brasileiro. Encontra-se em perigo de extinção.

Mico-leão-preto





















O mico-leão-preto (Leontopithecus chrysopygus) é um primata brasileiro da família Cebidae, encontrado apenas no estado de São Paulo, vive em florestas secundárias e primárias de seu habitat.

Sagui-leãozinho































O sagui-leãozinho (Callitrhix pygmaea) é a menor espécie de símio conhecida, medindo apenas cerca de 15 centímetros de comprimento (excluindo os outros 15 centímetros de cauda) e pesando 130 gramas, de pelagem acastanhada. Devido à sua pequena dimensão, e seus movimentos rápidos, é muito difícil de observar na natureza.

Macaco-japonês























































O macaco-japonês (Macaca fuscata) é um macaco da família dos cercopitecídeos, endêmico do sul do Japão. Tais animais habitam as florestas de altitude, localizadas acima de 1 500 metros de altitude e possui duas subespécies.

Macaco-esquilo

















Macaco-esquilo é o nome popular dos macacos do gênero Saimiri.

Gibão-de-mãos-brancas















Gibão-de-mãos-brancas é o nome popular dos primatas da espécies Hylobates lar.

Chimpanzé-comum
































O chimpanzé-comum (Pan troglodytes) é uma das duas espécies de chimpanzés que vivem no continete africano. Chegam a medir até 1,7 metro de altura quando eretos e pesam cerca de 70 kg.

Bonobo




































O bonobo, chimpanzé-pigmeu, chimpanzé-anão ou chimpanzé-grácil (Pan paniscus) é uma das duas espécies de chimpanzé, sendo a espécie animal atual mais próxima do ser humano.

Gorila-do-ocidente





















O gorila-do-ocidente (Gorilla gorilla) é a espécie mais comum do gênero Gorila.
  
Orangotango-de-bornéu

















O orangotango-de-bornéu (Pongo pygmaeus) é uma espécie de orangotango nativo da ilha de Bornéu, na Indonésia, tendo cerca de 45.000 indivíduos em estado selvagem, contrastando com os 7.500 orangotangos de Sumatra. Suas grandes ameaças são os incêncios e o tráfico ilegal de filhotes no mercado negro.

Nenhum comentário: