sexta-feira, 16 de março de 2012

Peixes pré-históricos

Haikouichthys


















Haikouichthys é um gênero de Craniata que acredita-se ter vivido há 530 milhões de anos, durante a chamada "Explosão Cambriana". Haikouichthys tem um crânio definido e outras características que têm conduzido paleontólogos a classificá-lo como um verdadeiro craniata.

Análises cladísticas indicam que o animal, de 3 centímetros de comprimento, é provavelmente um peixe agnatha primitivo, aliás, aparenta ser o peixe mais antigo do mundo, ou para outros autores um cordado mais proximamente relacionado às lampréias.

Tullimonstrum gregarium





















































O Monstro de Tully, ou Tully Monster (Tullimonstrum gregarium), foi um peixe marinho sem mandíbulas de aparência única encontrado em Illinois, nos Estados Unidos que viveu em águas tropicais dos estuários durante o Período Pensilvaniano há aproximadamente 300 milhões de anos atrás.

Metaspriggina






























Metaspriggina é uma espécie de peixe conhecido pelos depósitos do Cambriano Médio do Folhelho Burgess, no Canadá. Assim como o Haikouichthys, também é considerado como o peixe mais antigo do mundo.
  
Myllokunmingia





































Myllokunmingia é uma espécie de peixe agnato que viveu onde hoje é a China durante o período Cambriano Inferior. Assim como o Haikouichthys e o Metaspriggina, também é considerado como o peixe mais antigo do mundo.

Conodontes
















































Conodonta  é uma classe de peixes agnatos primitivos, atualmente extintos, que existiu e evoluiu há mais de 540 milhões de anos, entre o Paleozóico e o início do Mesozóico (do Cambriano Superior até ao Triássico Superior). Alguns cientistas consideram os conodontes comos os peixes mais antigos do mundo.

Acanthodii





























































Acanthodii é uma classe extinta de peixes, com características mistas de peixes ósseos e cartilaginosos. O grupo surgiu no Siluriano Inferior e desapareceu na extinção permo-triássica no fim do Permiano. Os Acanthodii também são chamados de tubarões espinhados.

Anaspida









Os anáspidas ("sem escudo") eram agnathas pré-históricos, iguais às atuais lampréias no sentido de que não possuíam escudo protetor.

Cladoselache































Cladoselache foi um gênero pré-histórico de tubarão do período Devoniano.

Eugeneodontida
















Eugeneodontida  é uma ordem extinta de estranhos peixes cartilaginosos semelhantes a tubarões, que viveram do Devoniano até o fim do Triássico. Sua marca característica são os grandes dentes na mandíbula que, quando nasciam os dentes substitutos, formavam uma grande espiral de dentes. Enquanto fossem usados, os dentes eram organizados e em grande quantidade, como nas arraias atuais, e usados para quebrar presas que possuíssem conchas.

Tubarão-Ginsu





















O Tubarão-Ginsu (Cretoxyrhina mantelli) foi um grande tubarão que viveu durante o Cretáceo, há cerca de 100 milhões de anos. Chegava a atingir 5,5 metros de comprimento e os seus dentes curvos atingiam os 5 cm de comprimento. Muito parecido com o grande tubarão, caçava presas quase do seu tamanho como o Xiphactinus. Foi o segundo maior tubarão predador que já existiu, perdendo apenas para o Megalodonte.

Hybodus

















O Hybodus era um tubarão primitivo. Julgando pelo tamanho de seus dentes o Hybodus possuía aproximadamente 2 metros de comprimento e quase certamente teve a forma hidrodinâmica típica que todos os tubarões tiveram desde o primeiro aparecimento deles no período Devoniano, mais de 360 milhões de anos atrás. Suas mandíbulas alojaram dois tipos de dentes e refletem uma dieta variada. Um jogo era afiado, satisfatório para prender presas escorregadias como peixes e calamares. Seus outros dentes eram planos e fortes, para esmagar as coberturas de animais como moluscos.

Megalodonte






















































Carcharodon megalodon (também denominado megalodonte ou tubarão-branco-gigante) foi uma espécie de tubarão gigante que viveu provavelmente entre 20 e 1,6 milhões de anos atrás, ainda que se tenha chegado a sugerir que a sua extinção tenha sido mais tardia ou que poderia ainda sobreviver nos nossos dias.

Stethacanthus































































O Stethacanthus foi pequeno tubatão primitivo que atingia cerca de 2 metros de comprimento, que viveu há aproximadamente 350 milhões de anos atrás, durante o período Devoniano

Galeaspida





















Galeaspida ("Elmos couraçados") é um extinto táxon de peixes sem mandíbulas marinhos e de água doce. Seu nome é derivado de uma palavra latina para elmo, galea, e refere-se a seus massivos escudos ósseos na cabeça. Galeaspida viveram em águas rasas e frescas e ambientes marinhos durante os períodos Siluriano e Devoniano (430 a 370 milhões de anos atrás) no que hoje é a China e o Vietnã.

Heterostraci


















Heterostraci é um grupo de peixes agnatas extintos que viveram no mar e nos estuários. O nome quer dizer conchas diferentes, aludindo aos seus padrões de cobertura do corpo, entre grandes escudos protectores e camadas de escamas.

Osteostraci







































A classe dos osteostráceos ("couraças ósseas") foi um gupo de peixes sem mandíbula de corpo couraçado, denominados "ostracodermos", que viveram no que é hoje a América do Norte, Europa e Rússia do Wenlock (Médio Siluriano) ao Devoniano Superior.

Tiktaalik















Tiktaalik roseae é a única espécie conhecida de Tiktaalik, um gênero de peixes sarcopterígeos (que possuem barbatanas com músculo) extintos do período Devoniano tardio e com muitas características típicas de tetrápodes.

Panderichthys











Panderichtys foi um gênero de peixes que viveu durante o período Devoniano superior (Frasniano), há 380 milhões de anos, onde hoje é a Letônia. Media entre 90 e 130 cm e possuía uma grande cabeça, semelhante às cabeças de tetrápodes. Os Panderichthys exibiam características transicionais entre os peixes Sarcopterygii e os primeiros tetrápodes, como o Acanthostega.

Hyneria

















Hyneria é um gênero extinto de peixes de nadadeiras lobadas da subclasse Tetrapodomorpha. Era um predador que viveu durante o Devoniano,

Onychodontida






















Onychodontida é um grupo de peixes pré-históricos da classe dos Sarcopterygii.

Pituriaspida









































Os Pituriaspida são um grupo de peixes agnatas couraçados que viveram no período Devónico médio, em sistemas deltaicos da Austrália.

Até ao momento, foram descritas apenas duas espécies, Pituriaspis doylei e Neeyambaspis enigmatica, a primeira com um escudo cefálico terminado por um grande rostro, enquanto que a segunda tinha um escudo e rostro menos alongados.

Dunkleosteus



























































O Dunkleosteus terrelli foi um peixe placodermo pré-histórico que viveu no Devoniano, há mais de 360 milhões de anos. Tinha a cabeça e o tórax coberto com placas duras parecidas com uma blindagem que chegavam a 5 cm de espessura, do restante do corpo (cauda) não existem fósseis, sendo que nas reconstituições essa parte é baseada na de outros placodermos. Media cerca de 6 metros de comprimento (embora alguns paleontólogos acreditem que animal poderia chegar aos 9 metros) e mais de 1 tonelada de peso. Ele teoricamente podia fechar a mandíbula a uma grande velocidade a 250 kl de peso da mordida do animal.

Leedsichthys































O Leedsichthys problematicus era um paquicormídeo gigante (um grupo extinto de peixes ósseos) que viveu nos oceanos do período Jurássico, há 165 milhões da anos. Embora os fósseis fossem encontrados, ninguém encontrou até a atualidade uma espinha completa, assim que seu tamanho exato é incerto. As estimativas variam de 18-30 metros de comprimento, mas as estimativas atuais sugerem que viria a ao redor 16-22 metros, fazendo lhe um dos maiores peixes que existiram.

Xiphactinus






































Xiphactinus era um enorme placodermo que viveu no período Cretaceo há aproximadamente 87 a 65 milhões de anos atrás. Este peixe foi uma dos mais velozes animais marinhos, chegando a atingir 60 km/h.

Pteraspidomorphi
















































A classe dos Pteraspidomorfos é um grupo extinto de peixes agnatas. Os fósseis mostram que esses animais possuíam um exoesqueleto em volta do corpo deixando apenas a cauda de fora.

Algumas espécies podem ter vivido em água doce, mas dominaram o mar há cerca de 550 milhões de anos. Apesar da carapaça óssea seu esqueleto não era ossificado. Eram pequenos, lentos e possuíam comprimento em torno de 30 centímetros.

Thelodonti




































Existe muito debate se o clado dos peixes do Paleozóico conhecidos como Thelodonti (anteriormente coelolepids) representa um grupamento monofilético, ou uns grupos díspares da haste às linhas principais de peixes sem mandíbula e mandibulados.

Nenhum comentário: